Minha Poesia antiga

 
"O Sonho"
Voando nas asas dos sonhos
Imaginei que viajava
Para perto de ti
Sonhei que te abraçava
Que te beijava
Mas não passou de um sonho
O desejo de te ver
De saber o que sinto
O querer ou não te querer
O desejar e querer fugir de ti
Mas não passou de um sonho
Os teus braços que me envolveram
Levando-me às nuvens
Sonhei que nos amávamos
No branco imaculado dos lençóis
Olhando para o mar na janela
As ondas explodiam no meu êxtase
Arrepiando-me o vento
Que nem existia
Amávamos-nos num frenesim
Mas não passou de um sonho
Sonhei o sonho que queria sonhar
Pois de sonho não passarás
Muito longe estás
E tudo nunca passará
De um sonho sonhado...
 14.12.2013                                                                    Miká Penha
 
"A Flor"

Saudades de uma flor
Saudades
De quem me as ofereça
Uma mulher sem uma flor
Mulher fria e amarga
Mulher triste
Mulher sem flor
Coração em dor
Saudades de uma flor
Saudades de ti
Tu que não sabes
Tu que nem existes
Saudades de ti
Ou saudades da flor
Que não tenho em mim...
07.12.2013                                                                           Miká Penha
  
"As nossas fotos"

Lanço nossas fotos na lagoa
Lagoa dos meus encantos
De sonhos perdidos
Num desencanto

Olho o céu espelhado
Nas lágrimas
Que escorrem no meu rosto
Recordações na memória
Que tendem a não se dissipar

As ondas engolem as fotos
Como a pedirem perdão
Dos enganos e desenganos
Dos sonhos desencantados
Ferindo meu coração

Me quero libertar...
29.11.2013                                                                         Miká Penha
 
"A dor do poeta"

Sentir ou não sentir
Sofrer, parar, morrer
A perda do que não foi nosso
O amargo da saudade
A esperança vai morrendo
Suplantando a dor
A tristeza nos invade
O amor não volta
A dor cada dia mais forte
A ténue luz ao fundo do túnel
Já se apagou
A escuridão deu lugar
No meu coração
Amar sem ser amada
É dor é tormento
É sina sem encantamento
É a água no azeite que deslaça
A lua e o sol que não se tocam
A sombra que não se afasta de mim
Afastei-me a sofrer
Afastei-me para morrer
Morte de dor e saudade
Morte do amor impossível
Amar sem ser amada
É dor é tormento
É sina sem encantamento
O amargo da saudade
A esperança vai morrendo
Morro de morte matada
Amor não correspondido
Amor que faz poesia
A dor do poeta
Morri...
24.09.2013                                                                        Miká Penha.
Foto: "Nódoas negras sentimentais"

Negra é a aura do meu ser
Sentimento frustrado
Aplacando meu coração
Na sombra do meu negrume

Sorte a mais 
Ou azar estúpido
No meu caminho
Me enfado

Termina viagem findada
Triste vida aprisionada
No sentimento frustrado
Aplacando meu coração
Na sombra do meu negrume

Sonho desventurado
No meu ser cansado
Triste e amargurado
Finalizo a viagem
Entorpecida e esgotada 
Nas nódoas negras sentimentais
Finalizo a viagem cansada
Desistindo de mim....
............................ Miká Penha
"Nódoas negras sentimentais"

Negra é a aura do meu ser
Sentimento frustrado
Aplacando meu coração
Na sombra do meu negrume

Sorte a mais
Ou azar estúpido
No meu caminho
Me enfado

Termina viagem findada
Triste vida aprisionada
No sentimento frustrado
Aplacando meu coração
Na sombra do meu negrume

Sonho desventurado
No meu ser cansado
Triste e amargurado
Finalizo a viagem
Entorpecida e esgotada
Nas nódoas negras sentimentais
Finalizo a viagem cansada
Desistindo de mim....
14.09.2013                                                                             Miká Penha

"Não há estrelas no céu"

Olhei para a Lua
Radiosa e bela
Sozinha e triste
Em seu redor
Nada mais existia
Não há estrelas no céu
Onde elas estão?
Para onde foram?
Sozinha e triste
A lua radiosa e bela
Olhando para mim
Como quem diz
Também tu estás só...
Mais uma vez pergunto
Não há estrelas no céu
Onde elas estão?
Para onde foram?
Elas se esconderam de ti
Pois essa tua tristeza
Deixa-as sem luz
Desgastadas e frias
Elas se esconderam de ti....
Ama-te
Deixa seres amada
Brilha
Para elas brilharem
Novamente no meu céu
Estou sozinha e triste
Porque não te amas...
01.08.2013                                                                 Miká Penha

  "Tristeza na Lagoa"

Caminhando na margem
Vendo os caranguejos
Fugindo à frente
Dos meus passos incertos
Duvidando de tudo
Sentindo-me absorvida
Nas saudades do passado
Peguei nos meus chinelos
Na toalha
E nos óculos de sol
Para ninguém ver
As lágrimas que caem
Rolando no meu rosto
Salgado da água,
As bateiras na sua azáfama
Ao largo da Lagoa
Nas suas águas azuis
Num espelho reflectindo
Um sol abrasador
O cansaço tomou conta de mim
Cansada adormeci
Sonhando
Contigo
Apanhando caranguejos
Acordei
Chamando teu nome
Mas não estavas lá
Estava sozinha
Só presa ao passado....
31.08,2013                                                           Miká Penha

"Meia noite na Lagoa"

Batia a meia noite
Eu olhava para as luzes
Reflectidas na água serena
Ao longe ouvia
Os risos dos jovens nos bares
Lembrando meu tempo de moça
No escuro saboreando a neblina suave
Envolvendo-me na humidade da areia
Deitada mal respirava
Descansava da caminhada nocturna
Sozinha, perdida neste mundo
Onde ninguém me pode ajudar
As ondas batiam no areal
respondendo baixinho:
"Não te ponhas a chorar
Vem p'ra aqui cantar
Algo para recordar,
Podes bem voltar a ter
Uma vida p'ra viver
O passado é para esquecer"
Sussurrei, Quem está aí?
Mas ninguém respondeu
Levantei-me calmamente
Com o coração apaziguado
Levando comigo
Toda a energia da Lagoa de Óbidos
Exaltando-me a alma
Adormeci...
28/08/2013                                                                                Miká Penha
"Inverno da Vida"

Verão no coração
Calor na alma
Sorriso no rosto
Olhar apaixonado...
Quando o frio chega
Tudo parece mais triste
Tudo parece mais nebuloso
O Inverno chegou
Os amores recolhem
Nas suas casas às lareiras
Acompanhados e amando
Mas nem para todos é assim
E esse frio congelou
Os corações mais quentes
No Inverno da vida
Se prolonga na solidão
O sofrimento
Esquecidos no frio
Das paredes grossas
E casas geladas
Faltando o carinho
O amor se esfuma
Nas recordações
Do Verão que passou
O amor se embaça
Na neblina matinal
O Inverno da vida chegou
Tenho o coração gelado
Para o frio que se avizinha
Tenho o coração gelado
De dor e paixão
Na solidão
Do Inverno da vida
Fecho meu coração.

 
 24/08/2013                                                                   Miká Penha
 
  “A rosa que te dei”


A rosa que me deram
Foi uma rosa de vida vivida
Do ar que não respirei
Das batidas de meu coração
Que não bateram
Do perfume que senti
Rosa negra do meu coração

Rosa nome de mulher
Rosa dos Ventos
Rosa de tudo e nada

Negras suas pétalas
Cada uma mais cruel que a outra
Uma pétala do meu nascimento
Outra da minha dor
Do namoro e casamento
Da paixão dolorosa
Que em mim se despenhou

Vida vivida, vida sofrida
A ti Rosa te peço tréguas
Deixa-me viver minha vida
E ser feliz ao lado do meu amor .


25.08.2013                                                                    Miká Penha


"Ciúmes"
  1. Quando olham para mim
    Teus olhos se vidram
    Deixas de pensar
    Teu cérebro fica negro
    De um negrume sem fim
    Fico sem vontade de te amar
    Com vontade de te odiar
    Perdes a razão
    Perdes o discernimento
    Perdes-me do teu coração
    Vejo-te como nunca te vi
    Namorado ciumento
    Mulher nunca quis
    Tenho medo e receios
    Dessa tua faceta doentia
    O álcool não te atenua amor
    Só te realça mais essa dor
    Dor de ciúmes
    Dor sem razão
    Dor que mata
    Meu coração...
    23/08/2013                                                       Miká Penha
 
 "A M O R "

Amor
Palavra banal
Repetida vezes sem conta
Dentro do contexto
Fora do contexto
Usada para tudo
E para nada
Palavra a saber a mel
Palavra a saber a fel
Amor para aqui
Amor para ali
Amor, amada, amorzinho
Banalizada a palavra
Só resta a sinceridade
O amor puro
Calo a palavra com um beijo
Calo o beijo sem a palavra
Calo o teu amor idolatrado.
Dentro do meu Ser
Não uso palavras
O olhar diz tudo
Os olhos são o espelho da alma
É no coração que está o sentimento
Não as palavras banalizadas
Palavra a saber a mel
Palavra a saber a fel
Com quatro letras faz sofrer
Faz rir e chorar
Calo a palavra com um beijo
Calo o beijo sem a palavra...
23/08/2013                                                                                       Miká Penha
 "Xanxada"

Nossa noite de Luar
A Lua reflecte as sombras
Sorrateiros os namorados
Escondem-se dos olhares
E entrando pela noite fora
Silenciosos
Passeiam pelos
Terrenos e matas
Eucalipais e pinhais
Nas fazendas e pomares
Roubando uma peça de fruto
Refrescando suas bocas
Adoçando seus beijos
Abraçando o futuro
Do seu amor
Xanxada
Ou roubo de amor
Roubo roubado
Esperança adoçada
A pêra rocha e as uvas
São as rainhas desses roubos
roubados por amor
Adoçando o paladar
Dos seus beijos
Amando nestas noites de Luar...    
23/08/2013                                                                                               Miká Penha

"Rabisco"

A vindima já lá vai
Restando o rabisco
Nas cepas cansadas
De terem produzido
Belos cachos de uvas
De peles finas e aveludadas
Brancas e vermelhas
Outras grossas de trincar
Cada uma com o seu paladar
Derretendo na minha boca
Adoçando os lábios quentes
Um convite para amar...
A seguir à vindima
Lá dizia minha avó
Virá uma velha
Com seu cesto de verga
Sua tesoura amolada
Apanhando o rabisco
Pequenos cachos
Esgalhas pequenas
Resíduos da vindima
Deixados pelos Maltezes
Apressados para acabar
O trabalho cansativo
Assim a velha
Encheu um barril de vinho
Não desperdiçando nada...
Moral da história...
O nosso desperdício
Alguém o aproveitará...
E eu com meu cacho de uvas
Derretendo na minha boca
Adoçando os lábios quentes
Um convite para amar.
                                                                                                    Miká Penha
 "Não mereço"

Tens amor demais para dar
E eu de menos para receber
Sofro quando não estás
Mas não te quero ver
Amas a pessoa errada
Pois não mereço esse amor
Não te mereço
Não te mereço
Ou mereço e não sei
Sonhas demasiado alto
Um amor pleno de carinho
Eu sofro por te ir fazer sofrer
Eu não sei ser amada
Estimada e idolatrada
Minha simplicidade
É meu atrofio
Minha verdade
É minha confusão
Meu amor
Não existe...
23/08/2013                                                                Miká Penha
 
"Sentimento presente"

Sentimento adiado e sofrido
Na serenidade da minha vida
Contemplo meu passado
Incolor e sensaboroso
Só o amor do passado
Que me deu dois filhos
Que são minha ventura
Que são meu afago
Só este facto maravilhoso
Retiro proveito do passado
Longínquo e quase esquecido
Viver
Sim viver o agora
O meu presente
Um novo amor com futuro
Um estado de graça
Esta serenidade que me preenche
Que me satisfaz plenamente
Que me deixa arrasada e feliz
Algo tenho para agradar
Para me enaltecer
Esse algo és tu meu amor
Obrigado por existires na minha vida...
20/07/2013                                                                                                Miká Penha
 "Amor de Serenidade"

Amor tranquilo
Calmaria da vida
Serenidade na alma
Longe vai a melancolia

Este maravilhoso bem estar
Que se apoderou de mim
A sustentabilidade do meu Ser
A companhia diária
A amizade serena
Conquistada por ti
Apaixonada por ti
Um feliz casamento
Sinto em mim
Felicidade suprema

Longe vão as intrigas
A extinção da tristeza
Que entristecia meus dias

Aveludando meus dias
Serenando meus ânimos
Apaixonando-me.
10.07.2013                                                   Miká Penha
  
 “Amor de Cristal”

Ternura, Carinho
Serenidade, Paixão
Tudo me apraz
És o meu refúgio
Nosso amor é um
Cristal por lapidar
Um raio de Sol
Na minha vida
A Ternura que
Me envolve
O Carinho que
Me fazes sentir
A Serenidade
Que sempre desejei
A Paixão que
Preenche meu coração
Estou me apaixonando
Todos os dias que passam
Cada dia que olho para ti
Este amor de cristal
Que todos os dias é lapidado
Será um amor especial
Um amor eterno
Protegido pela luz que irradia
Desse belo cristal…
09.07.2013                                                               Miká Penha
  
"Livro da vida"

Escrevo meu livro da vida
Onde a cada virar de página
Tu estás recordado
Misturado com lágrimas de dor
Borrando as palavras
Que fluem de saudade

Sinto o mesmo amor
Mas a dor é maior
Porque desisti

Desisti de ti
Porque não tenho força
Para esse amor imaturo
Amor que não se quer dar
Em pleno na vida
Amor que me afasta
A cada virar de página

Amor hipócrita
Amor fingido

Preciso de tudo num todo
Quero-te para sempre
Quando velhinhos recordarmos
A cobardia de amar
De se dar dos pés à cabeça
Pois um homem é de força
Quando fez feliz
Uma única mulher
E não várias

Um sonho adiado
Uma união rompida
Um amor declarado
No livro da minha vida
.09.04.2013                                                                          Miká Penha
 Foto
"Minha Prisão"

Presa na garrafa
Presa no coração
Presa para nunca mais amar
Se aproveitando
Da lágrima que escorre
Pela face lustrosa
Do frio que congela 
Que conserva esta dor
O ar gélido da montanha
Que me sufoca... 
                                                                                                 Miká Penha
“Serenidade”

Serenidade no meu coração
Meu ego está no auge
Alguém me dedicou uma canção
Me fez sorrir de novo
O Verão vai começar
Dentro do meu coração
Estou feliz
Limpei minha alma
Uma brisa de ar fresco
Entrou na minha cabeça
Suprimi a doença
Que me arrastava
Que me punha triste
Meti meu ponto final
Porquê sofrer 
Por alguém que não nos ama
Quando outro alguém
Nos espera 
Ao virar da esquina
E nos faz levantar os olhos
E ver com olhos de quem quer ver
E eu quis te ver
Estavas lá
Serenidade
Acabou a melancolia
A dor a tristeza
Algo despertou dentro de mim
Talvez eu queira esquecer…
 30.05.2013                                                       Miká Penha
 
"Sorriso apagado"

Sorriso morto, sorriso apagado
Morre o sorriso
Quando meus lábios se abrem
Quando te avista ao longe feliz

Pisando a areia na Lagoa
Calcorreando a Foz,
O sorriso aparece
Quando não estás

Este sorriso franco saudável
Morreu quando te deixei
Quando desisti de nós
Morreu nos meus lábios frios
Sedentos de ti
Mas não te querendo mais
Morre sorriso
Sorriso fingido
Morre sorriso
Esperando por ti
Para o resgatares da minha boca
Tornando-o um sorriso feliz
Mas morreu meu sorriso...

29 Maio 2013                                                                       Miká Penha
"Prova Superada"
Amor de engano, Amor de verão
Amor sofrido, posto à prova
Prova superada quando passaste com outra
Eliminado por suprimição, eliminado por maldição
Muitas farás sofrer, pois não tens amor para oferecer
Muitas enganas, muitas te farão o que nunca te faria
Maldito amor de Verão, temporada fatal
Três Verões se passaram e eu de olhos fechados
Acreditei que me amavas
Acreditei que seria para sempre a única
Malditos Amores de Verão
Que fazem sofrer
Quem neles acreditam

Prova superada, quando te vi,
A tensão não subiu, a pulsação ficou calma
Curada de ti,agradecida por teres
Passado com ela à minha frente
Nada senti, não sofri
Pois não prestas para mim
Pois no meu coração
Só fica quem faz por merecer...
Estás eliminado
Prova Superada....
26.05.2013                                                                   Miká Penha  
"Choro ao Luar"
Choro a tristeza a dor
Choro o dia de hoje
Que te vi com ela
Que sofri em mim
A dor constante
Que me faz chorar

Choro o sofrimento
Choro quando veio o luar
A Lua misteriosa
Se riu de mim
Choro
Choro

Dentro do carro
Na escuridão
Te vejo com ela
Esqueceste-me?

As promessas
Dum amor verdadeiro
Os dias passados
Quando doente estavas

Agora aqui estou
Choro não te ter
Mas não te quero ter
Pois não me amas
Como eu te amo
Amo-te meu amor...
           25.05.2013                                                          Miká Penha   
"Perfeição"
 Ser-se perfeito
É não ser feliz
O perfeccionismo dói
Quando o outro aos nossos olhos
Deixa de ser perfeito
Quando vemos que não nos ama
Como nós o amamos

Quando nos apontam defeitos
Que achamos que não os temos
Quando somos perfeitos
Tudo o que nos apontam
É uma mentira
Uma mentira psicológica
Como o ciúme
Para nos confrontarmos
Com o nosso eu interior...

O meu eu sente-se bem
Então porque começamos
A duvidar de nós próprios
A querermos ser imperfeitas
Para sermos amadas
Contradições da vida
Sentimentos confusos.
                                                                                                                         Miká Penha   
Solidão
Sinto a solidão
Quando quero passear à beira da Lagoa
Quando quero andar de bicicleta
Quando quero jantar fora
Quando quero ir a um café
Quando quero dar um passeio

Quando quero
Quando quero
Quando quero

Solidão
Solidão
Solidão

Meu coração triste
Sofre de tudo
Por isto e por aquilo
Por aquilo e por isto

Onde está minha companhia?
Onde estás tu?
Tu que não me vês
Tu que não me conheces
Onde estás?

Solidão
Solidão
Solidão

Vai-te embora Solidão
Olho para os namorados
Que vão passeando à minha frente

Suspiro

Invejo
Quero
Desejo
Sofro

E tu não vens...
20.05.2013                                                                                               Miká Penha  
 
"Fuga"
Fujo do que não quero ver
Sinto o que não quero sentir
A fuga a esta dor
Faz-me sentir mais em ti

Mas eu não te quero ver
Nunca mais te quero sentir
Fuga desenfreada
Sentimento adiado
Preciso ver para crer

Preciso sentir para sofrer
Para depois te esquecer
Poder não é querer

O limite da dor aparece
Quando te ver com ela
Ver para acreditar
Mesmo assim não acreditarei
Que me esqueceste tão depressa
Enquanto eu choro por ti
E te quero em mim

Querer não é poder
E eu fujo de ti
Nesta fuga desesperada
De te querer só para mim

Mas algo se romperá
A dor será muito forte
Pois quero sentir tua respiração
Quero sentir teu olhar
Quero sentir teu cheiro
Que já não cheira a mim
Por isso te quero esquecer
E fujo de ti...
18.04.2013                                                                   Miká Penha

 

"A outra"
Ver o abraço que não é meu
Sofrer de desgosto
Ver o beijo que meu já foi
Sentimento doloroso
Lágrimas que escorrem
Em meu rosto escondido
Preparação interior falhada
Nunca se está preparada
Para ver nosso amor
Nas mãos de outra
Quando se ama demais
Sofre-se em dobro
Mas o abraço que meu foi
O beijo que já não é
Sempre será melhor esquecer
Que viver num erro
Um erro que doeu demais
E que não mereceu.
16.04.2013                                                                     Miká Penha
"Como te esquecer"

Não sei como te esquecer
Esquecer nosso passado
Toda a nossa vivência
Toda a nossa cumplicidade

Não sei como fazer
Para mudar meu rumo
Viver minha vida sem te ver
Sem te ter a meu lado

Não sei como dormir
Se só sonho contigo
Se não quero mais acordar
Desta ilusão do sono

Não sei como viver
Estes dias amargurados
Estes dias com sol
Sem te ter a meu lado

Não sei como sorrir
Aos velhinhos que passam
E que vêem no meu sorriso
Uma máscara fingida

Não sei como te esquecer...
09.04.2013 - 02.00h                                                                      Miká Penha
"Procuro-te"

Procuro-te com o olhar
Pela minha lagoa
Espero-te ver
Sentindo o que sinto
Triste com saudade

Procurando-me com o olhar
Olhando para todo o lado
E eu aqui tão perto
Sabes onde me encontro
Sabes onde moro

E porque esperas?
Vais perder meu amor? 
Esse nunca o perderás 
Não te trocaria por ninguém 
Pois meu amor é verdadeiro 

Ao longe as nuvens negras 
Que assolaram este amor 
Persistindo em desaparecer 
As tuas duvidas 
A tua incoerência 
O não saber o que queres 
A nossa nuvem mais negra 

O meu amor por ti 
Tem sido paciente 
Calmo e sereno 
Mas a espera 
Da decisão final 
Sim, 
Uma espera dolorosa 
Um final infeliz 
Mas eu estou aqui...
06.04.2013                                                                                            Miká Penha
"A minha Paleta"

A minha Paleta está borrada
As cores saem dos tubos
Toda a tinta misturada
O vermelho junta-se ao amarelo
Tentando aquecer meu coração
O azul mistura-se com o verde
Tentando me oferecer
A melancolia do Outono
Mas a guerra é do preto
Tentando me levar para escuridão
Mas ganha o branco 
Que me leva para a clareza de espírito
Como meu nome de baptismo 
Me designou no dia que nasci
Clara, sim Clara
É clareza, é brilho
Tenho de sentir essa resplandecência
Essa vontade de viver
Tenho de encontrar esse amor
Que está escondido
Deixá-lo aquecer meu coração 
Para que minha paleta de cores
Retorne a poder pintar
E não simplesmente
Fazer poemas intimistas
Escrever palavras tristes
Quero dar cor à minha vida...
04.04.2013                                                                                               Miká Penha
"Prisão"

Presa na garrafa, presa no coração
Presa p'ra nunca mais amar
A dor se sente num todo
Da lágrima que escorre
Pela face lustrosa
Do frio que congela
O ar gélido da montanha
Que sufoca...
Se aproveitando
Que conserva esta dor
01.04.2013                                                                                         Miká Penha
 
 Foto
 "Tempo sem tempo"

É um tempo sem tempo
Que por mim passa
Nesta espera desesperada
De alcançar um tudo
Que de vazio se enche
Minha alma esperançada
Nos teus braços me envolvo
Para alcançar o calor
Que necessita meu coração
Mas a tristeza me invade
Me penetra e não me satisfaz
Plena defrio me afasto
Mas esperançada que me salves
 Deste purgatório infindável 
Onde me encontro à anos 
Um dia caminharei a teu lado 
Quem serás, quem foste 
Pois quem eu sou não sei...
09.12.2012                                                           Miká Penha
 
"SOFRER POR AMOR..."

Quando se ama sofre-se
Com algo que o outro faça
Ou algo que não fez
Com uma palavra que diga
Ou algo que não disse
Com algo que comprou
Ou algo que não comprou
Com o ser ou não ser
O fazer ou não fazer
O estar ou já não estar
O tempo se fundiu e algo quebrou
Por isto ou por aquilo
Haja uma razão concisa e adulta
Um homem é uma criança grande
Uma criança que se enfada
Que resiste e se mortifica
Com o que fez ou deixou de fazer
Com o sentimento que deixa morrer
Por não saber
Ser ou não ser 
Dizer ou não dizer
Comprar ou não comprar....
Algo se quebra quando se amachuca
Dói este sofrer imaturo
De não saber amar
                                                                                                               Miká Penha
"Quem serás"

É um tempo sem tempo
Que por mim passa
Nesta espera desesperada
De alcançar um tudo
Que de vazio se enche 
Minha alma esperançada
Nos teus braços me envolvo
Para alcançar o calor
Que necessita meu coração
Mas a tristeza me invade
Me penetra e não me satisfaz
Plena de frio me afasto
Mas esperançada que me salves
Deste purgatório infindável
Onde me encontro à anos 
Um dia caminharei a teu lado
Quem serás, quem foste
Pois quem eu sou não sei... 
                                                                                                          Miká Penha
"Chuva"

A chuva vai caindo
Molhando tudo em meu redor
Meus sapatos ensopados
Saem dos pés 
Solto-os para a beira da estrada
Continuando descalça
O vestido se cola ao corpo
Sinto o frio gelar-me
Mas mais gelado está meu coração
Pois sofre e se angustia
As gotas de chuva parecem de gelo
Me ferindo quando tocam minha pele
Nem o chapéu de chuva me protege
Chego a casa e me fecho
Esperando um dia o amor chegar

                                                      Miká Penha
"A Minha Lagoa"

Descansando nas tuas margens
Sonho contigo acordada
Vejo o que não vejo
Quero o que não me dão
Sinto o que não tenho
A pureza do meu ser
Sinto-me frágil
Pedindo a Deus protecção
Sento-me à tua beira
Sentindo a tua água fria
Batendo na minha pele
Arrepiando o meu interior
Que espera por ti
Sinto-me sensual
Mesmo sem te ter
Sinto-me viva
Quando te olho
Lagoa dos meus encantos
Tu vives dentro do meu coração

                                                                                                               Miká Penha

"Dentro de mim"

Na minha cama repousando
Reflectindo em tudo
Tudo o que foi e não é
Tudo o que aconteceu e desapareceu
Tudo o que tive e nada vi
Não vi uma flor
Nem uma singela rosa
Nem uma anel
Ou um colar
Nada material me deste
Mas contigo me sinto
Repleta de tudo
Um tudo que me preenche
Um tudo que transborda
Da minha alma
Do meu coração
O pior é durante a semana
Que não te vejo
Que não te sinto
Que não te tenho
Mas estás dentro de mim

                                       Miká Penha
"Prende-me"

Prende-me dentro de ti
Não me deixes fugir
Não me percas neste caminho
Íngreme e rochoso
Agarra-me com todas as tuas forças
Pois muitas vezes eu cambaleio
No interior do meu ser
Nos meus devaneios
Nas minhas incertezas
De quem tu és
Do que seremos
Do que o futuro me reserva
O risco não é minha profissão
Assim sendo me fecho
Me abomino neste silêncio
Sofrendo ou querendo sofrer
Amando uma miragem
Estas são as minhas incertezas
Estes são os meus medos
Que me apertam a alma

                                  Miká Penha 22.03.2012
 


Um dia te pedi a mão
E tu nem a mão me deste
Um dia te pedi o coração
E tu nem o coração me deste
Um dia te pedi fica comigo
E tu respondeste NÃO
Uma alma que se foi
Num anjinho se transformou
Radiando beleza e pureza
Tomando conta de nós
Dormindo ao nosso lado
E nos embalando
Na sua suave canção
De amor e carinho
Meu anjo da guarda
Meu anjo de serenidade
Meu anjo puro e belo
Me protege deste mundo
Mundo cruel e avaro
Um mundo que polui
Os nossos corações
Me guarda

                                                                                      Miká Penha
"AMO QUEM AMO"

Tudo errado...
Um tudo que nada é
Um nada que é tudo para mim
Mas nada vezes nada
Nunca dá uma mão cheia de coisa alguma
Pois esse nada nos deixa vazia
E essa coisa nenhuma a nada sabe
Uma aventura virtual
É o final, o desespero
A solidão de estar só

Por isso desejo o real

Amo quem amo

E a ninguém amo

Nada me completa 

Nada me satisfaz

Porque coisa alguma

É nada

E o nada me deixa

Um amargo na boca 
Um amargo a fel
Miká Penha                                                                           12.02.2012

Um dia alguém me disse
"Nunca irás ser feliz"
Contra todas as previsões
Da solidão vou sair
Um raio de Sol 
Entrou sorrateiramente
Pela minha janela 
E eu serena senti seu calor
Entrar no meu coração
A nuvem afastou-se....

Deixando seus raios 
Iluminando-me por todos os lados
Aquecendo-me e envolvendo-me
Com a sua luz dourada

A janela nunca mais fecharei
Deixo-a sempre entreaberta
Para que todos os dias
Me venha agraciar
Com seu calor
E me despertar... 
 Miká Penha                                          02.01.2012
"Quem és tu"

Quando se abre uma Ostra
Pensamos, estará lá dentro uma pérola?
Eu pergunto-te
De onde vens, para onde vais?
Que queres de mim?
Te dei todo o meu tempo
Todo o carinho e compreensão
Todo o apoio e amizade
Que queres de mim?
Que quero de ti?
Não te compreendo
Mas tento
Não sei o que pensas
Mas tento
Não sei o que queres
Mas tento
Tento tudo e nada consigo
Tento perceber e não percebo
Tento pensar e não entendo
Mas uma pergunta te faço
Que queres de mim?
Não ouviste a pergunta?
Porque não vens aqui
Não ouviste a pergunta
Porque não me lês o pensamento
Por isso não vais responder
Terei de eu tentar perceber
E não percebo
Quero deixar de gostar de ti
Tantas horas que passamos a falar
A conviver, a sonhar
Mas afinal os sonhos eram só meus
Os sonhos de uma mulher romântica
Acabei contigo no sábado
O que nunca começou
Pediste-me namoro?
Não, não pediste
Pensaste em um dia casarmos
Não, não pensaste
Então não acabei nada
Pois nada tinha começado
Até me disseste que nunca pediria ninguém em namoro
Até que tua mãe tivesse saúde para te passar as camisas
Mas isto é coisa que se diga a uma mulher?
Então porque penso tanto em ti?
E mesmo assim acabei contigo
Acabei porque quero um marido
Um homem só meu
Envelhecer com ele
Com confiança e fidelidade
Porque sou romântica
Porque sou parva
Porque sou o que sou
E tu? 
Quem és?

01/08/2011                                                                     Miká Penha



"A casa que sonhei"
A casa dos meus sonhos 
Seria, antes de tudo, um jardim.
Eu sentiria lá
O cheiro suave das flores do campo
O cheiro a jasmim flutuando no ar,
Misturando-se com a alfazema.
Teria o calor de uma manhã de sol
E, no quintal, tardes tranquilas amenas
À sombra do chorão
Apanhando framboesas
Para a cestinha,
Para depois fazer um bolo
À procura de aconchego da palmeira
Uma revoada de várias espécies 
De passarinhos se aconchegam
Numa verdadeira sinfonia.
Nos azulejos azuis da piscina
Reflectindo o sol na água cristalina
O chorão se inclina até ela
Como um oásis que nos livra da secura
Na sala de jantar,
O barulho de uma pequena cascata
Onde pudéssemos brincar às escondidas
Ou simplesmente relaxar
Recolhida e em paz.
E os quartos, 
Seriam amplos e arejados,
onde se pudesse apenas 
descansar ou amar. 
Sem nenhuma interferência.
A casa dos meus sonhos,
Seria uma espaço para ser muito feliz. 
E para receber meus netos e filhos
Para uma felicidade sem igual.

06 de Fevereiro de 2011                                                           Miká Penha

"PASSEANDO SOZINHA"

À beira mar, ou à beira da lagoa da Foz do Arelho
Tantas são as vezes que passeio
Sozinha ao amanhecer
Sozinha ao entardecer
E tu não estás lá

Sei que não estás
Porque não me cruzei com ninguém
Sei que não estás
Porque não vi ninguém
Sei que não estás
Porque não te senti

A não ser o vento
Que me gelava o coração
O ar húmido que me molhava
Com os pés nas ondas
Acabei encharcada
E tu não estavas

Por onde andas afinal
Que fazes tu que não me vês
Que fazes tu que não me sentes
Quem és tu afinal?

Quem és tu que vai prender meu coração
E um dia deixarei de passear sozinha...
Quem és tu?
Dupla personalidade

Sonhar, sonhar, sonhar
Fantasias, fantasias, fantasias
Minha cabeça explode
Olho-me no espelho
Que vejo eu

Uma mulher de meia idade
Sem nada
Uma mulher de mãos de ouro
Uma mulher fiel respeitadora

Tudo muito bonito
E o resto???
O que dança dentro da minha cabeça
As fantasias não concretizadas

Dupla personalidade
o Poder da mente?
Chamem-lhe o que quiserem
Para mim é um desejo insaciável

Tenho uma forma própria de amar
Um jeito só meu
Doce, sensual, envolvente
O meu amor é manso,
Mas pode se tornar voraz
Dependendo de cada momento

Ele modifica...
E num apetite insaciável
Vou tornando-me, minha presa...
Vem, saboreia com apetite
Sente como estou agora, para ti
Penetra no meu ser...
Descobre meus encantos
E tudo que posso fazer...
Aproveita cada momento
Sente esse gostoso movimento
De corpos que se amam, desvairadamente
Contorcendo-se de todas as maneiras
E sentindo o êxtase chegar, lentamente...
Agora percebo
Quero ir mais além
Percebo o quanto estive perdendo
Há um universo de coisas para aproveitar
Aproveito enquanto vivo

Sinto o perfume que exala do meu corpo
Nesse momento...O odor, do amor...
E agora, não penso
Só sinto...

Quero, dar de mim até não sentir mais
Sentir o ódio do que não vivi
Sentir o que não senti
Viver o que não vivi

Quero acordar
Parar de sonhar
E ver-te ao meu lado

De dia sou eu
Calma, serena,
À noite sou outra
Sensual, fugaz
Sôfrega para te amar
Sejas tu, ele ou ela
Vamos amar
Amar e ser amado
Amar até sentir algo
Algo que penso que nunca sentirei....
"Meu lago de cristal"

Flutuando pelo mundo
Entrando pela porta da fantasia
Um portal nunca aberto
Para o meu lago de cristais
Brilhantes lapidados
Nascendo e flutuando
Na água límpida e cristalina
Reflectindo o que nos vai na alma
Para uns cristais puros
Para outros cristais do pecado
Do ódio e da morte.

Para mim cristais transparentes
Como meu coração cheio de amor
Amor por todos e para todos
Assim deveriam ser todos
Me sinto pura e enfeitiçada
Nos braços deste mundo

Neste mundo negro e avaro
Mas que eu até no diabo
Encontro algo de bom
Talvez o calor que emana
Não sendo do coração
Mas aquecendo quem se aproxima

Assim eu espero
Nunca dele me aproximar
Para não sofrer
Pois quando nos damos
No amor sofremos
Mas será que o diabo me espreita
Eu creio que não
Pois mereço ser feliz

E assim flutuando
No meu lago de cristal
Esperançada e calma
Pela beleza que me envolve
Sentindo o cheiro da brisa do mar
E das plantas em redor
Flutuo...flutuo...flutuo
Esperando calma e serena
Pelo chamamento do amor
"Pela estrada caminhando"

Vou caminhando pela estrada da vida
Sem medos nem receios
Minha mente mudou
Uma grande mudança se manifestou
Na altura que soube que tinha um aneurisma
Porquê ter medo
Medo de tudo e de nada
Medo de sofrer e medo de viver
Se todos um dia acabamos esta vida
Quero ser feliz enquanto cá estou
Usufruir de todos os prazeres que poderei ter
Ter tudo o que querer
Ter tudo e nada ter
Ter o sol e a lua
Ter a terra e o mar
EU QUERO TUDO
Contemplação


Toda a vida a vivi
A contemplar o mar
A montanha, a criança que passa
O cão que ladra
O idoso andando lentamente
pela vida cruel e dura

Eu contemplo
A formiga carregando a semente
Fazendo sua arrecadação encher
A gaivota que voa independente
A coruja que acabou de caçar um ratito
Toda a vida fui contemplativa

Agora contemplo a minha vida traída
Num passado de tempo esgotado
De tempo que não volta atrás

Tudo perdi e tudo ganhei
A rosa que te dei

A rosa que me deram
Foi uma rosa de vida vivida
Do ar que não respirei
Das batidas de meu coração
Que não bateram
Do perfume que senti
Rosa negra do meu coração

Rosa nome de mulher
Rosa dos Ventos
Rosa de tudo e nada

Negras suas pétalas
Cada uma mais cruel que a outra
Uma pétala do meu nascimento
Outra da minha dor
Do namoro e casamento
Da paixão dolorosa
Que em mim se despenhou

Vida vivida, vida sofrida
A ti Rosa te peço tréguas
Deixa-me viver minha vida
E ser feliz ao lado do meu amor

"Minhas raízes"

Tenho tido os pés bem presos no chão
Se alguém me tenta fazer parar na esquina
Eu olho com simpatia e me desvio
Já caminho desde que o sol nasceu em mim
Sei que minha vida é feita de mudanças
Mesmo que eu não acredite
Um dia terá um fim
Caminho sempre com esperança
Com novos sonhos e visões
Caminho direito às estrelas
Rumando para lá do infinito
E mesmo que não acredite no meu fim
Nunca deixarei de caminhar
As pedras e obstáculos
Me dão muita força
Me tornaram na mulher que sou hoje
Como uma árvore centenária
Com suas raízes profundas
A trovoada vem e passa
O relâmpago atinge
Mas
Na primavera um raminho floresce
E a árvore continua de pé
O importante é que nunca paro
Todos os abismos que me são imposto
Eu os transponho
Com fé e esperança
Acreditando sempre na força
Que inunda minha alma
De luz e amor

Abri minha janela do quarto
Estava um luar magnifico
Não fazia vento
Nem uma aragem corria
Uma noite taciturna
Com o esplendor da lua
Olhei para a serra de Montejunto
E vi a forma da tua face
Nunca te tinha visto
Mas sonhava contigo
Tua história já me haviam contado
Vida de luta, vida de amor
Acabada em traições
Acidente inesperado
Cortando tua felicidade
Mas
Assim sendo
Vieste para mim
Te amo com carinho
Te amo com ternura
Um dia verás quem sou
Pois conhecer não me conheces
Mas, aos poucos verás em mim
A companheira ideal para ti
Serei sempre tua
Serás sempre meu
A magia do Luar
Uma história que será linda
Sempre nos unindo mais
A lua nos amparará
Pois ela é minha cúmplice
Quantas noites pensei em ti
E tentei te conhecer
Só ela pode saber
Esta é a magia do luar
Uma luz divina
Que nos unirá para sempre
Pois eu sou tua
E tu és meu...


"Morro e transformo-me"

Como a lagarta que morre
E se transforma em borboleta
A alma do meu ser se enche de luz
No vazio de minha vida
Na escuridão atroz
Onde me tenho escondido
Na penumbra do meu quarto
Eu quero renascer das cinzas
Que me têm consumindo
Tempos havia que eu era outra
E esta não a reconheço
No meu ser aprisionado eu quero renascer
Um dia tudo se transforma em luz
Acordarei deste pesadelo
O limite aconteceu
E para a frente nasce um novo dia
Transparente radioso
Eu quero renascer
Como a Fénix renasceu
Eu serei eu
E tu serás tu
Incorporarei
E como a Deusa
Que sobe ao altar altiva
Irei ao teu encontro
E conseguirei
Ultrapassar os meus limites
Da loucura que me tem abeirado
Da insanidade do meu eu
Eu morri e me transformei
Em algo pleno, algo divino
Agora eu sou eu,
Mas sendo eu,
Nunca isso me aconteceria
Então não sou eu
Morri mas não me transformei…



"Jura secreta"

Só uma coisa me entristece
Tudo o que fiz e não fiz
Tudo o que sei e não disse
O beijo de amor que não roubei

A carícia que me deste e não quis
A mão que me ofereceste e recusei
A jura secreta que não fiz
O amor impossível que recusei
A viagem que não fizemos
O luar que não assisti
A briga de amor que não causei
Nada do que posso me alucina
Posso ter o que não terei
Posso querer o que não quero
Posso amar o que não amei
Posso ver o que não vejo
Tanto quanto o que não fiz

Nada que eu quero me suprime
Nada do que posso ter não quero
De que por não saber ainda não quis
E que por não poder não aceito
Pois querer eu quereria
Aceitar eu aceitaria

Só uma palavra me devora
aquela que meu coração não diz
Aquela que não posso aceitar
Quero-te, desejo-te, adoro-te
Mas uma jura secreta nunca fiz

Só o que me cega,o que me faz infeliz
É a luz que não quero ver
O luar que não quero assistir
É o brilho do olhar que não sofri
A faca espetada no meu coração
Que me queres tirar e não deixo
A suave brisa em que me envolves
E até dessa eu fujo

Teus lábios pedem meu terno carinho
Mas a amargura paira dentro de mim
Tuas doces palavras enchem meu coração
Mas eu não posso querer ouvir
Mas uma jura secreta te farei
Nunca te esquecerei


"Quero"

Porque me escondo

Neste sofrimento atroz
Vivendo envolvida nesta solidão
Escondendo-me do quê e de quem?

Eu quero sair
Mas não quero sair
Sinto-me só
Sinto-me só e sem forças

As paredes me aprisionam
Paredes geladas e baças
Quero me libertar destas amarradas
Que me ferem bem fundo
Choro lágrimas escondidas

Dentro de mim
Mutilando meu coração
Quero me libertar deste medo
De amar de ser amada

Quero fugir desta solidão
Que me sufoca
Derrubar os muros erguidos

Que me envolvem
Saio e misturando-me na rua
Mas sinto-me só
Choro com lágrimas escondidas
Dentro de mim
Sorrio pelas ruas simpaticamente
Camuflando meu choro continuo

Esperando que me descubras
Tudo por medo de voltar a amar
Voltar a dar o melhor de mim
Todo este amor que guardo
Por não o poder dar
Tenho medo de sair
Nesta solidão a qual me condenei
Grito forte, fortemente

O vento leva meus gritos
Neste silêncio em que me confinei
Quero sair desta solidão
Quero encontrar o alguém
Que me foi predestinado
Para que o possa amar
Amá-lo para sempre
Como já mais amei um dia

Quero desaparecer
Quero voar
Quero fugir
Quero me libertar
Quero te encontrar



"Procuro-te"


Vim de longe…

Estive mais longe ainda
No íntimo dos meus desejos
Dos meus anseios
Procurei-te por toda a parte
Onde estavas quando precisei de ti
Perdi-me nos encantamentos
Duma vida solitária
Pois não te conseguia encontrar
Nas horas da minha solidão
Escondida na penumbra do pôr do sol
Entre as cores da natureza
As imagens, os sons e sabores
Em cada pensamento meu
Te procuro, quero te encontrar
Teu nome é derramado
Nas minhas poesias
Minhas mãos já se acostumaram
A procurar-te em cada palavra que escrevo
Em cada melodia que canto
Aqueles passos que dei ao teu lado
Da nossa vida vivida
Esperando que a tua primavera
Me encontre
De pétala em pétala
Deixas teu perfume
Emanar no meu ser
Para que no nosso Outono
Estejamos juntos
Infinitamente juntos
A ver o entardecer
Dos nossos sonhos
 
"Sonhando"
 
Eu sei que um dia me vou arrepender

De tanto te amar de tanto te querer
Meu não és, nem nunca serás
Idade não tens nem nunca terás.
O amanhã vai despertar
Ao luar nossos corpos cansados
Fundindo-se num só
A escuridão nos esconde
O pecado vive connosco
O erro a maldição
Como naquela canção
"Eu sei que vou-te amar
Eternamente eu vou-te amar"
Músicas soam nos meus ouvidos
Românticas, melancólicas
Apaixonadas vibrantes,
Num pequeno click me chamas
Eu vou sempre irei
Quando me chamares
Eu lá estarei....
E a música ecoa
A coruja passa e guincha
Acordo....
Estou só
Acordarei sempre só
Os sonhos me elevam
Os sonhos me protegem
Vivo neles...
Quando tu me chamas
È porque estou a sonhar
Acordo cansada
Cansada de correr para teus braços
Cansada de tudo
Cansada de nada...
Corro, corro...
E tu és como a bruma
Envolves-me nos teus braços
E eu cansada deixo-me arrastar,
Danças comigo uma dança sem fim
Voou nas nuvens rodopiando
Dançando, dançando
Tropeço e me seguras
Com teus braços fortes
Da tua plena juventude
Me abraças
Me apertas e me deslargas
Me dando simplesmente a mão
Esta noite serás minha,
Me dizes ao ouvido
Fecho os olhos
Para sempre serei tua
Oiço um guincho
A coruja me acordou
Deixa-me sonhar
Ao menos deixem-me sonhar,
Deixem-me divagar
Nas ondas dos meus sonhos
Deixem-me sonhar
Deixem-me sonhar...
"Segue a tua vida"
 
Segue tua vida, segue mulher com serenidade!

Não respondas a quem quer respostas,
Responde aos que te chamam por ironia,
Esses sim merecem o teu ensino,
Tua oferenda de vida em sintonia,
Em teu seio resplandece a sinceridade…

Inquietude no sono das mil velas!
Da vida que viveste a penumbra te recolhe,
Vislumbras o paraíso do teu “eu”!

Sacode o pó que escondes nas tuas vestes!
Eles virão te pedir tudo,
Tudo o que queiras dar e não tenhas dado,
Tudo o que queiras oferecer e não tenhas oferecido…

Abre a tua alma em preces,
Pede perdão a Deus,
Recomeça uma nova vida,
Desgarra-te da ilusão fatigante,
Que a tua alma atinja,
Da vida só levarás o vento,
Na brisa só restará um pedido,

Nas velas que acendo!
Nas alegrias que me assolam,
Na solidão que me invadem!
Nas respostas que me despedaçam,
Nos sonhos que me emergem,
Na bruma que me rodeia,
Te peço mulher, sê sempre tu,
Te peço Clara
Sê feliz
"Um anjo me disse"
 
 
Os anjos fogem de mim
Mas voltam a se aproximar
Eu só consinto na verdade de que tenho sede...
A minha sede de fugir de não querer ver que…
Os Anjos enriquecem, nosso modo de pensar
Infundindo-nos pensamentos e ideias nobres
Eles elevam o nosso espírito e nos ensinam a encontrar
As pegadas de Deus, em todas as nossas experiências.
Mas eu não quero encontrá-lo...
Tenho medo de o encontrar..
Tento fugir...mas eles me apanham,
E me tentam acalmar
Apaziguar o meu espírito cansado, esgotado e turvo
Quando declaramos, acreditar em algo
Frequentemente surge alguém,
Que nos pede para prová-lo
Esse novo despertar da realidade, o mundo dos espíritos
Nós não o vemos, não o tocamos,
A admiração que se possa ter por este mundo
Não pode se transformar em adoração
Este é um mundo invisível e silencioso,
Ainda misterioso, mas muito próximo de nós
Tão próximo que é difícil aceitar,
O que me está a acontecer
Eu me puni...me isolei, fugi de tudo e todos
Não impondo mais minha personalidade
Mas essa personalidade,
Está muito enraizada no meu eu
Um anjo finalmente me mostrou o caminho
Não o caminho da dor e da solidão
Mas sim o caminho da Paz e do Amor
Eu compreendi...mas não aceito, é difícil aceitar
Aceitar que eu, que eu seja um anjo
Não aceito, não quero
Serei eu um anjo também
Não consigo, interiorizar esta ideia
Não consigo
Não consigo
Não consigo
Três vezes cantou o galo
Antes de Judas, trair Jesus
Eu nego três vezes
Não consigo
Não consigo
Não consigo
Mas estou perto de conseguir
Minha boca diz o que o
Coração não sente
Meus pensamentos
São levados pelo vento
A maresia abate-se
Sobre mim, a neblina
Rodeia-me e isola-me
Quem está aí...
Pergunto eu...
Mas...nada
Nem um som
Só as ondas do mar
Esse mar infindável
De repente as ondas acalmam
O vento acalma...
Silêncio
Um murmúrio além sussurra...
"Tu consegues"
"Tu consegues"
"Tu consegues"
E eu respondi
"Sim hei-de conseguir"
 
"Desgosto e consolo"
 
 
Meu filho me disse, vou viver minha vida

Não queria acreditar, aos dezoito anos
Nunca pensei que fosse tão cedo
Esse desgosto não me deixou dormir
Meus pensamentos se fundiram num só
Ele vai me deixar, para sempre, o meu menino
Vai ser de outra mulher, e ele é só meu, meu
Meus sentimentos, meus pensamentos
Se baralharam, me bloquearam, me afogaram nesta mágoa
E ao volante, quando me dirigia para minha aldeia
Fui parar à “Boca do Inferno”
Me sentei a ver o mar a perguntar-me o porquê?
A neblina me invadiu, me isolou
As rochas eram enormes, as ondas maiores
Tudo era assustador, mas… Eu estava em transe,
Hipnotizada pelo desgosto,
Os ecos da gruta, feitos pelas ondas
Ecoavam em mim, mas eu deixei de os ouvir
Eu estava só, numa solidão atroz
Um Inferno debatia-se na minha cabeça
Tentei meditar, mas anjos de negro me olhavam
Me chamavam para aquele mar revolto
Seus braços enormes me envolviam
Dançavam à minha frente numa dança sem fim
Eu estava completamente molhada dos salpicos das ondas, da neblina
Deixei de ouvir os ecos, meu corpo estava gelado
Mas por dentro eu estava vazia, minha alma não estava lá
Deixei meu corpo, fui dançar com eles
Uma dança ritmada, voando, voando
Ao longe vislumbrei, uma luz brilhante, branca como a neve
Ela me atingiu em pleno, me levou para outra dança
Mas todos estavam de branco,
Anjos de branco me envolveram, me davam a mão
Me levaram para outra dimensão
As nuvens tornaram-se num palco, um palco de ternura
Afecto e compreensão, olhei para trás
Meu corpo continuava nas rochas
À beirinha, olhando para o mar dum vazio sem fim
Quando me estava a aproximar Dele
Naquela dança angelical,
Um velho de fato negro de borracha
Barbas e cabelos brancos, me colocou a mão no ombro
Ele me puxou para meu corpo me obrigou a descer
Senti uma golfada de ar a entrar em meus pulmões
O sangue fluiu ao meu coração
Quem é o senhor?
Perguntei muito sumidamente,
Ele me respondeu…
“Ele me mandou trazê-la
Vá minha filha para a sua aldeia
Encontre a paz, o amor está dentro de ti”
 
 
"Decepção Familiar"
 
 
Decepção palavra forte, pesada

Constante na minha vida
Decepção por isto, por aquilo
E agora decepção em quê?
Decepção no futuro
Na inconstante vida
Que levo e levarei
Decepção de não ter tido coragem,
Coragem de pôr uma corda no pescoço
Como meu avô, sim somos parecidos
Quando a família não nos trata bem
Nós fraquejamos eu e ele
Somos seres sensíveis
Eu adorava-o
E os problemas familiares levaram-no
Levaram ele para longe de mim
E ele tinha tanto para me dizer
Morte, frustração
Foi isso que me deixaram,
Saudades dele
Ele pôs a corda no pescoço
Pois pensou que a família viveria melhor sem ele
Mas eu precisava dele
Preciso dele...
Preciso também de minha avó Graça
Onde estão preciso de vós estou sozinha
Não quero fazer asneira
Ontem fiz pela primeira vez
O que ele fazia, embebedei-me
E ele levou-me nos sonhos, sonhei com ele
Não estava lúcida, mas sei que estava sozinha
E continuo sozinha, sozinha
Ela diz que eu sou, mais forte que ele
A minha avó está-me a guardar
Ela é o meu anjo, meu anjo da guarda
Por ela eu penso duas vezes
Mas ele me chama para perto dele
O chamamento é forte demais
A corda está à espera, porque não vou
Porque não vou? Depressão?
Não, não estou depremida
Estou simplesmente
Farta da vida que levo
Tenho um namorado há um mês
E ele gosta muito de mim
Mas nem isso me está a fazer bem
Acho que estou sem forças para continuar
A fingir... Sim a fingir que está tudo bem
Não, não está...
Não está tudo bem
Isto é tudo uma decepção
Estou decepcionada
Meus filhos, sim, meus filhos
Mas até eles não precisam de mim
Porque estar neste martírio
Ontem me embebedei
Hoje estou a chorar porquê continuar
Estou triste, meus filhos
será que virão passar o Natal comigo?
O Natal é para mim muito importante
Já estou a sofrer por antecipação
Se meu filho não vier...
Será a minha maior decepção dos últimos tempos
Preciso deles, não vou aguentar
Não vou...
Não quero mais aguentar o que não suporto
Chega...
Tenho de parar de fingir... Se não parar de fingir
O chamamento de meu avô, estará perto demais
Avô eu não quero, espera mais um pouco
Pelo menos até ao Natal...
Por favor espera por mim
Espera por mim, eu irei
Mas... Não agora
Esperem por mim
Avô e avó
Brevemente, estaremos juntos
Amo-vos
Amo-vos
Amo-vos
Ajudem-me, não suporto mais
Tenho saudades vossas
Amo-vos

"Despedida"

Novo ano, nova vida
Tristeza na minha alma
Despedida amargurada
Meu coração sofrendo
Se despede para sempre

Olho o horizonte
Por do sol alaranjado
Ao longe as gaivotas gritam
Gozando com a minha dor
As ondas explodem
Com sua espuma branca
Tentando afagar meu coração
Com sua brancura

Mas dói, dói muito mesmo
A breve despedida
Como se nada fosse
O virar costas naquele minuto
Em que se quer um abraço
Aquele beijo que não vem
“Queres ficar comigo para sempre”
Tão simples p’ra quem ama
Tão simples para quem pensa ser amada
Mas a facada trespassa o coração
E a certeza vem
Nunca me amou
Sempre estive enganada

O pular fora foi o melhor
A duvida se dissipou
Como as nuvens negras
Do nosso relacionamento
Antes esta certeza
Do que a duvida

Quem quer ser amada em absoluto
Não pode se contentar
Com tão pouco....
Quando se ama é para a vida toda
É um sentimento uma lembrança
Fazer amor é tão bonito
Quando se ama
Mas quando se ama verdadeiramente.


01.01.2013                                                                                              Miká Penha

"Fim de Verão"

Eu só queria estas palavras
"Queres namorar comigo?"
Palavras que sempre pertenceram
Serem ditas pelos homens
Desde os tempos primordiais
Mas ele não o diz
Dói-lhe pensar em dizer
O sofrimento é tanto para o dizer
Que me deixou partir
E eu nem me virei para trás
Acabou o Verão
Vou-me embora
Só ficarei se o disseres
Mas a dor atroz das palavras
Deixaram-no mudo
Com lágrimas nos olhos
A dor trespassara-o
Nem queria acreditar
Que me fui embora
Duas semanas depois
Uma maravilhosa sms
"Preciso falar contigo, vem"
E eu fui, correndo
Mas mostrando minha frieza
Fingindo o que não era
Fingindo o que não queria
Mas queria-o muito
E o amor era tão grande
Que esqueci as palavras que queria
"Queres namorar comigo?"
Estas palavras não lhe saíram da boca
Mas saiu a palavra "FICA, por favor"
E eu fiquei a seu lado
A palavra "Fica" ficou presa no meu coração
Uma bela palavra de amor
Uma grande prova de amor
O meu amor era grande demais
E fiquei
Vamos viver o Inverno juntos
O Inverno da estação
Mas Verão nos nossos corações
Sinto-me plena de amor
Sim amo-o

08 Setembro 2012                                                 Miká Penha
"Ansiedade e suspense"

Ansiedade para te ver
Para te ter a meu lado
Tu anseias por mim
Que fiz eu para merecer
Esse estado de espírito?
Quereres-me?
Não sei porquê
Viste-me na Lagoa
Amámos-nos na Lagoa
Apaixonaste-te
Pelo que sou, por dentro e por fora
Como dizes nas tuas declarações de amor
Tens arte nas palavras
Tens o dom de encantares-me
Tudo parece real
Tudo parece sincero e verdadeiro...
São estes os teus pensamentos
Eu sei querido
Quem lê livros consegue te perceber
Conseguimos através das palavras
Das pinturas que viste
Dos poemas que leste
Das nossas longas conversas
Conseguiste captar a minha essência
Eu sou o que transpareço
O que mostro no dia a dia
Eu sou eu
E é esse eu que tu amas...
Sempre serei assim
Como me pintaste na tela espalhada dentro de ti
Eu sou aquela que um homem precisa
Mas não aquela que precisa de homem.
Mas é divino a comunhão de dois seres
Com alma gémea, idênticos
Comungarem dos mesmos gostos
Seres inteligentes e maduros
Prontos a amar e ser amados
Prontos a dividir o espaço
Para o resto dos seus dias
Serem prazenteiros
Estimar-mo-nos
Será possível esse sonho
Vir a ser uma realidade?
Mas eu não quero deixar minha aldeia
Deixar minha vida perto da Lagoa
Não conseguiria viver feliz sem isso
Onde me sinto feliz
Onde amo e retiro da terra
Toda a força do meu ser.
Será que estás pronto para ser só meu?
Eu detesto hipocrisia
Frivolidades
Infidelidades
Eu quero ser totalmente tua
Se tu quiseres ser totalmente meu
E para sempre
Não quero sofrer mais
Estou cansada
E quero ser encantada....

Hoje fazes anos
E como vês estou a pensar em ti..
 
13.03.2012


0x0=0
Tudo errado...

Um tudo que nada é

Um nada que é tudo para mim

Mas nada vezes nada

Nunca dá uma mão cheia de coisa alguma

Pois esse nada nos deixa vazia

E essa coisa nenhuma, a nada sabe

Uma aventura virtual

É o final, o desespero

A solidão de estar só
Por isso desejo o real

Amo quem amo

E a ninguém amo

Nada me completa 

Nada me satisfaz

Porque coisa alguma

É nada

E o nada me deixa

Um amargo na boca

Um amargo a fel
8 Fevereiro 2012
 
Meu amor espero por ti
Deambulando pelas ruas
Nebulosas e frias
Da minha respiração
Se solta um suspiro de dor
Da dor de não te ter
Da dor de não te sentir
O chapéu negro de chuva
Cobrindo-me dos pingos
Que me gela o corpo
Necessitado de ti...
AMO-TE
 
30/01/2012

"Amor de Verão"

Amor de Verão ....
É um amor nostálgico
Pois quando chega o Inverno
Faz-nos olhar pela janela com saudade
E uma imensa melancolia que faz sofrer
Magoa, dói, trespassa-nos o coração.
Mas quando alguém nos diz que não passa dum amor de Verão
Porquê acreditar que pode ser algo mais?
Porquê pensar que só pode existir
Enquanto o Sol nos aquece o coração.
Porque haveria de pensar que a neve não derreteria esse suave calor?
Porque haveria eu de ter esperança neste amor?
Pois na verdade nada me prometeu
Pois a velha questão de que um tem muito amor para dar
E o outro nada para amar.
Deveria ser mais equilibrado.
Eu amo e quero ser amada pelo que sou
E não pelo que pensam que sou.
Detesto mentira e hipocrisia
Eu sou o que sou e nada sou....
E por tudo ser, quero tudo.
Quero-te e amo-te...
Vem comigo, juntar nossas vidas, viver a dois...
Estas são as palavras que quero ouvir
E sentir de dentro do coração de quem amo.
Ou fecharei meu coração para sempre...
Mas também se não vieres agora...
Perderes-me-às para sempre.
Sei que sou romântica
Mas não tenho vergonha de te o demonstrar.
Porque dentro do meu coração
Só existe amor
29.11.2011

"Fim da tarde na Lagoa de Óbidos"


A página virou-se
E retratei o momento
Pois as letras já se confundiam
Com a escuridão
Que não tardaria em abater-se sobre mim

Um dia calmo de calor
Uma brisa suave
Me envolve por isso
Vou conseguindo me manter
Na praia lendo meu livro

Abstraí-me no meu canto
Na minha toalha cor-de-rosa
Debaixo do chapéu de sol Fushia
Sentada na minha cadeira rosa

Se passarem por mim na praia
Já sabem estou toda de cor-de rosa
Com um livro enorme nas minhas mãos
Que todo o dia o desfolhei

Muitas vezes descansando a vista
Ia calcorreando as margens da água
Para refrescar, a água fria refrescava
Apesar de nunca estar deitada ao sol
Por isso apesar de ir sozinha
Levo chapéu de tudo o mais de protecção

Sentei-me novamente na cadeira
Quando de repente, olhando em frente
Vejo minha irmã com o companheiro
A apanhar berbigão

Já noutro dia atrás tinha visto outra irmã
Com o marido e minha sobrinha
Preciso de ir para mais longe
Talvez para o fundo do mar
Para estar só

Afinal...estou só
Minha família....deixou de o ser
Irmãs?...parece que não tenho
Cunhados...ou algo parecido
Também não tenho

Então se nada tenho que estou aqui a fazer
Sim isto são meras palavras
Umas singelas
Outras agressivas
Uma solitárias

Mas principalmente no meu coração
A minha alma ainda sonha
Talvez isto seja um sonho
Ou será mais um pesadelo
Talvez eu não esteja só

Talvez "TU" estejas a meu lado
Mas é impossível estares a meu lado
Pois se alguém telefona
Não atendo
Se alguém me chama
Não oiço
Se alguém combina um encontro
Não apareço

Então como poderás
Estar um dia a meu lado
Simplesmente te digo
"NÃO ESTARÁS"
Sabes porquê
Porque não existes

O "TU" que me faria apaixonar por ti

NÃO EXISTES....

Ou seja existes, mas não sabes que és tu....

"Quem és tu"

De onde vens, para onde vais?
Que queres de mim
Te dei todo o meu tempo
Todo o carinho e compreensão
Todo o apoio e amizade
Que queres de mim
Que quero de ti

Não te compreendo
Mas tento
Não sei o que pensas
Mas tento
Não sei que queres
Mas tento
Tento tudo e nada consigo
Tento perceber e não percebo
Tento pensar e não entendo

Mas uma pergunta te faço
"Que queres de mim?"

Não ouviste a pergunta?
Porque não vens aki
Não ouviste a pergunta
Porque não me lês o pensamento

Por isso não vais responder
Terei de eu tentar perceber
E não percebo

Quero deixar de gostar de ti
Tantas horas que passamos a falar
A conviver, a sonhar

Mas afinal os sonhos eram só meus
Os sonhos de uma mulher romântica

Acabei contigo
O que nunca começou

Pediste-me namoro?
Não, não pediste

Pensaste em um dia casarmos
Não, não pensaste

Então porque penso tanto em ti?
E mesmo assim acabei contigo

Acabei porque quero um marido
Um homem só meu
Envelhecer com ele
Com confiança e fidelidade
Porque sou romântica
Porque sou parva

Porque sou EU
E tu?
Quem és?

01/08/2011

"Dualidade"

Dividir, separar, duelo
Seja que termo for
Faz doer
Separa o coração em dois
Divide-o
Um duelo intenso dentro de mim
Querer ou não querer
Ser ou não ser
Amar ou não amar
Dualidade
Separação
Dor intensa no meu peito
O destino está traçado
Lá diz o velho ditado
Então porque não me dá já o resultado
Que vai acontecer
Será ele ou ele
Será este ou aquele
Quem será afinal
Com quem ficarei
O fruto proibido é o mais apetecido
O fruto oferecido, diz-se não muito obrigado
Um oferece, outro recusa
Um quer e deseja
Outro quer e desdenha
Um quer para sempre
Outro o sempre não quer

E eu
Que quero?
Este duelo que existe
dentro de mim
Me mata, me consome

O Verão num instante passa
No fim do Verão decido

O coração terá de se unir
E me dar uma resposta
Sim ou não
Eis a questão

18/07/2011
"Continuando a reflectir"

My God
Que fiz eu?
Que mal me fiz a mim própria?
Sou ingénua?
Sou masoquista do meu ser?
Sou sempre eu que me firo
Uma ferida que infecta
Uma lágrima que rola na minha face
Deixando um rasto salgado
Um rasto de sofrimento

Porque acabei algo que não existiu
Porque findei uma situação inexistente
Mando-o embora da minha frente
Abster-se da minha presença
Para que eu não sofra mais
Pois a partir deste momento
Se eu continuasse viria a sofrer

Estou a começar a gostar dele
A sentir meu coração palpitar
Minhas veias entram em reboliço
Quando estou perto dele

Quando estou longe sinto a falta dele
Pescamos caranguejos
Pela margem da lagoa
Recordações destes dois meses
Não faltarão para recordar

Mas a partir daqui sofrerei
E não quero vir a sofrer
Ainda gosto de mim o suficiente
Para não querer sofrer mais

Ele é livre
Eu gosto dele
Mas quero para mim
Todos os dias

Por isso quero partir....já
Para não sofrer

20/06/2001
Dupla personalidade

Sonhar, sonhar, sonhar
Fantasias, fantasias, fantasias
Minha cabeça explode
Olho-me no espelho
Que vejo eu

Uma mulher de meia idade
Sem nada
Uma mulher de mãos de ouro
Uma mulher fiel respeitadora

Tudo muito bonito
E o resto???
O que dança dentro da minha cabeça
As fantasias não concretizadas

Dupla personalidade
o Poder da mente?
Chamem-lhe o que quiserem
Para mim é um desejo insaciável

Tenho uma forma própria de amar
Um jeito só meu
Doce, sensual, envolvente
O meu amor é manso, mas pode se tornar voraz
Dependendo de cada momento

Ele modifica...
E num apetite insaciável

Vou tornando-me, minha presa...
Vem, saboreia com apetite
Sente como estou agora, para ti
Penetra no meu ser...
Descobre meus encantos
E tudo que posso fazer...
Aproveita cada momento
Sente esse gostoso movimento
De corpos que se amam, desvairada-mente
Contorcendo-se de todas as maneiras
E sentindo o êxtase chegar, lentamente...
Agora percebo
Quero ir mais além
Percebo o quanto estive perdendo
Há um universo de coisas para aproveitar
Aproveito enquanto vivo

Sinto o perfume que exala do meu corpo
Nesse momento...O odor, do amor...
E agora, não penso
Só sinto...

Quero, dar de mim até não sentir mais
Sentir o ódio do que não vivi
Sentir o que não senti
Viver o que não vivi

Quero acordar
Parar de sonhar
E ver-te ao meu lado

De dia sou eu
Calma, serena,
À noite sou outra
Sensual, fugaz
Sôfrega para te amar

Sejas tu, ele ou ela
Vamos amar
Amar e ser amado
Amar até sentir algo

Algo que penso que nunca sentirei....



REFLEXÃO..."Amor de Verão"

Reflectir é um dom da mulher
E eu não sou diferente...
Penso, penso, penso

Nós dois temos conversas infindáveis
Podemos passar toda a noite na conversa
O fim de semana é de relax, prazer e calma
Uma serenidade que estou a adorar

Depois da trovoada vem a bonança
Talvez seja isso que está a acontecer comigo
Senti uma trovoada na minha vida
Sem apoio do ombro amigo
Sem compreensão
Sem a alma gémea 
Fechei os olhos e deixei-me arrastar

Agora que este tornado desapareceu
Sinto-me aberta a amar, a me dar
A dar e receber
Só assim uma pessoa é feliz...

16 anos duma vida sentimental nula
É difícil de ter a certeza do que quero
O que desejo, sinto-me uma alma perdida

Mas ele me está a recuperar
Sinto-me como quando se tem o primeiro amor
Sinto-me completamente embriagada e sedenta dele
Sinto um turbilhão de emoções

No geral sinto-me madura e pronta para
Viver este "AMOR DE VERÃO"
É isso que sinto, uma loucura
Uma descida no escorrega da vida
A adrenalina fica elevada
Quando estou ao lado dele.

Temos uma praia secreta
Onde só nós dois estamos
A loucura se apoderou de mim
Enquanto nossos corpos se enlaçam
O pôr-do-sol magnífico
Espelha-se na água da lagoa
Sinto-me perto das pequenas nuvens
Que mais parecem tufos de algodão espalhados
As gaivotas gritam à nossa volta
E nós vamo-nos amando
Com a suavidade do amor
Reflectindo penso
Amor ou Paixão
Paixão ou Amor

Eu sinto que poderia amá-lo incondicionalmente
Nele sinto a liberdade da gaivota
E digam-me lá...
Quem apanha uma gaivota e a mete numa gaiola
Ninguém...
É o que sinto nele
Enquanto eu quero viver sempre ao lado dele
Casar, envelhecer, etc.
Não o sinto preparado para isso

Por isso será só um "Amor de Verão" ???
Só o tempo o dirá...

05/06/2011


"Serei vosso anjo da guarda"


Uma noite de pensamento
No meu quarto oiço a cotovia
Assobiando uma canção de embalar
E nem mesmo assim eu adormeço
Perdida nos meus pensamentos
Memórias secretas
Memórias esquecidas e apagadas
Arrumadas num cantinho do meu cérebro
Talvez dentro do meu aneurisma
Hoje falo dele, pois estou sentindo-o
Sinto o que ele sente quando eu sinto por ele
Mas ele lá está arrumadinho
Pronto a fazer-me uma surpresa
Estou consciente de que ele comanda minha vida
Ele faz o que quer e eu faço o que ele quer
Ele me ordena, para me manter calma
Serena,tranquila, pura de coração e na alma
Pois é assim que ele gosta que eu esteja...
Às vezes perco-me a divagar na minha meditação
A fugir dele para ser eu mesma
Mas ele me chama e eu compareço
Ele é o meu senhor e dono
Meu mestre da arte de saber esperar
Um dia irei para sempre com ele
Mas eu jurei-lhe que era eu que escolhia esse dia
Quando eu quisesse, quando eu dissesse
Esse dia comandava eu...
E voaria num voo sem fim
Para longe de tudo e todos
Mas como um anjo da guarda
Sempre junto aos meus entes queridos
Ajudando-os nas suas várias etapas da vida
Sentindo o fôlego, o sopro da respiração deles
Eu os protegerei...
Não não tenho medo de morrer
Pois ninguém morre
Eu voltarei, noutro corpo
Noutra mente
Mais pura, mais sensata
Mais divinal
Puro isso meus filhos vos peço
Não chorem
Pois só se chora
Por quem nada fez numa vida
E eu fiz muito
A minha versatilidade é constante
Talvez muitas coisas tenha aprendido
Noutras vidas anteriores
Mas nesta aprendi a amar-vos
Plenamente
Com a limpidez e pureza
Que sinto por vós
Uma paixão infinda
Amo-vos muito "Tito"e "Rita"
Por isso não chorem meus filhos
Quando eu um dia for para perto de Deus
Pois todas as lágrimas que caírem
Eu darei um beijo na vossa face
Sempre ao vosso redor estarei para vos proteger
Sejam abençoados
Pois eu também me sinto abençoada
Por vos ter tido...
Amo-vos
"Dedicatória à minha sobrinha Jessica"


Jessica, uma dedicatória
Faz-se em várias circunstâncias
São 5 da manhã e estava a escrever
Algo sobre meus filhos
E lembrei-me de ti

As saudade que eu tenho de ti
São infindáveis
Estás tão perto e tão longe
Amo-te muito
Cresceste quase dentro da minha casa
Como uma mãe, acompanhei teu crescimento
Tua escola, tua natação
Tudo o que fazias, quando dormias
Muitas vezes espreitava tua respiração
Como se fosses também minha filha
Tiveste uma boa mãe
Uma esplêndida avó
Mas eu sinto que meu papel de tia
Também foi muito importante para mim
Cheguei-te a comprar no natal
Presentes mais caros que o dos meus filhos
Só porque os desejavas ter
Ninguém compreende que o amor que se tem por um filho
É igual ao que se pode ter por uma sobrinha
Criei-te dando amor igual ao da Rita
Tanto que vocês se sentem como irmãs
E esse amor foi sendo construido por mim
Contra tudo e todos
Contra as previsões dos familiares
Que achavam que vocês duas não se iriam amar como irmãs
E cá estão vocês duas e o Tito
Como três irmãos de alma e coração
Sentindo e vendo o mundo abraçados
E é isso que sinto por ti
Um amor tão forte, que sofro por não te ver
Nem te ter ao meu lado, mais vezes
Ver teu sorriso constante e aberto
Nem teu olhar límpido
Como o lago ao fim da tarde
Todos os dias eu sofro
Hoje me faz falta todos os beijos que não te dei
Todos os abraços que não te abracei
És a loira que habita meu coração
Como tua mãe também é
Mas a vida nos prega partidas
E a minha vida tem sido amarga
Mas aqui estou sabendo
Que ainda um dia nos riremos juntas
E quando precisares de mim
Aqui estou como se tua mãe fosse
Chama-me Jessica que eu irei
Por ti
Apagarei o fogo dos infernos que te farão
Por ti sei que ainda te darei a mão...
E seremos felizes.


Maio 2010

"Amar para sempre"

Quando se sente amor
Mesmo amor
Nada parece impossível
Mas porque duas pessoas
Não se dão totalmente
E igualmente
Sem reservas
Nem dúvidas
Só amar

É isso que sinto
Só amor
E é isso que basta
Só amar
E eu amo-te
Oh como eu te amo
E nunca pensei voltar a viver
Esta emoção
Este aperto do coração
Esta incertezas e dúvidas
Sempre a pairar na cabeça
Quando se ama...
Tudo nos assalta no pensamento
Por ter medo que acabe
Pois só temos uma certeza
A certeza do que sentimos
E duvidamos que o outro ame
De igual forma
Achamos que numa balança
O nosso amor é sempre maior
Mais pesado
Pois sabemos o que sentimos
E eu sinto
Um grande amor

Maio 2010
"Despeço-me de ti"

Não queria que fosse assim.
Mas achei que chegamos ao limite.
Não estávamos no equilíbrio ideal da balança.
Acostumaste-me mal, e eu deixei.
Não, gritei, nem esperneei, não coloquei toda a culpa em ti.
Afinal, quando alguém nos fere a culpa é nossa.
Eu deixei que meu coração falasse mais alto.
Não me arrependo.
Que isso fique muito claro.
Sangro agora.
Mas não me arrependo de ter suspirado alegremente.
Toda relação, seja familiar, de amizade, amorosa, tem sua data de validade.
E isso não significa em momento algum que aquela ou essa pessoa
Vá deixar de ser importante na minha vida.
Pois tu fazes parte da minha vida.
Tu fizeste parte dum lindo capítulo que chegou ao fim.
Mas que sempre vai estar lá, guardado, pra quem quiser ler.
Não posso falar sobre o futuro.
Não sei se o teu personagem aparecerá de novo na história da minha vida...
Neste momento, eu queria te dar um forte abraço, te olhar nos olhos.
Dizer: - Até qualquer dia!
Mas minhas pernas não ajudam.
Meus sentidos também não.
Todo meu corpo me boicota.
Deixaste duas marcas em mim.
Que não posso apagar, nem quero
Nossos filhos são a coisa mais linda que fizemos na vida.

Por isso fechei um capítulo da minha vida, mas as marcas ficam ...e SOU FELIZ

16/12/2009

Sem comentários:

Enviar um comentário